Tarde no CORAFESP é especial

O período da tarde iniciou-se com a oração intercessória, conduzida pela Pastora Keila Ferreira e em seguida ela apresentou a Bispa Franciléia e sua filha, Juliana Santiago. Elas que são respectivamente esposa e filha do apóstolo Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus e a Bispa deu uma breve saudação às congressistas. Em seguida a Pastora Keila conduziu a apresentação das regionais e congregações.

Em seguida a ministração da tarde, ficou à cargo da Miss. Camila Barros, que impactou aos presentes, com o texto de João 20:1-16, que diz:

“E no primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu a pedra tirada do sepulcro. Correu, pois, e foi a Simão Pedro, e ao outro discípulo, a quem Jesus amava, e disse-lhes: Levaram o Senhor do sepulcro, e não sabemos onde o puseram. Então Pedro saiu com o outro discípulo, e foram ao sepulcro. E os dois corriam juntos, mas o outro discípulo correu mais apressadamente do que Pedro, e chegou primeiro ao sepulcro. 

E, abaixando-se, viu no chão os lençóis; todavia não entrou. Chegou, pois, Simão Pedro, que o seguia, e entrou no sepulcro, e viu no chão os lençóis, E que o lenço, que tinha estado sobre a sua cabeça, não estava com os lençóis, mas enrolado num lugar à parte. Então entrou também o outro discípulo, que chegara primeiro ao sepulcro, e viu, e creu. Porque ainda não sabiam a Escritura, que era necessário que ressuscitasse dentre os mortos. Tornaram, pois, os discípulos para casa. E Maria estava chorando fora, junto ao sepulcro. Estando ela, pois, chorando, abaixou-se para o sepulcro. 

E viu dois anjos vestidos de branco, assentados onde jazera o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés. E disseram-lhe eles: Mulher, por que choras? Ela lhes disse: Porque levaram o meu Senhor, e não sei onde o puseram. E, tendo dito isto, voltou-se para trás, e viu Jesus em pé, mas não sabia que era Jesus. Disse-lhe Jesus: Mulher, por que choras? Quem buscas? Ela, cuidando que era o hortelão, disse-lhe: Senhor, se tu o levaste, dize-me onde o puseste, e eu o levarei. Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, voltando-se, disse-lhe: Raboni, que quer dizer: Mestre.”

“Toda a área das nossas vidas que carecem de cura, já foram visitadas pela dor. Às vezes a dor é tão grande que você esquece que antes disso, Deus já tinha te prometido uma coisa boa. Jesus já tinha dito aos discípulos que ele ressuscitaria, mas a dor de perdê-lo os fez esquecer do que Jesus tinha prometido. Eu estou falando isso para que você entenda de que maneira Maria Madalena foi chegando até aquele sepulcro na madrugada de domingo. Ela quer correr para fazer o que é possível para amenizar aquela dor.”

“Para azar isso ela vai atrás de mulheres que foram tocadas da mesma forma que ela foi. Aqui o Espírito Santo já está te dizendo: Quando começar um projeto, anda com gente que tem a mesma visão, a mesma direção que você. Ela queria dar seguimento aos preparativos do corpo de Jesus. Jesus já sabia que não seria preparado devidamente. Na casa de Simão uma mulher desesperada estava encostada na parede, olhava para ele e a necessidade falou mais alto do que a etiqueta comportamental. Ela se jogou aos pés dele, lavou-os com as lágrimas, enxugou-os com seus cabelos e ficou marcada eternamente pelo seu gesto. Quem te vê se derramando aqui na igreja, não pode te julgar porque não sabe o tamanho da necessidade que você trouxe diante do altar”.

“No plano da obra de Deus, ninguém escreve: ‘Vou levar mirra, incenso e um imprevisto’. Não é assim. O plano não tem imprevisto. Por isso o nome é, ‘imprevisto’. Ela foi preparada para cuidar do corpo dele, então quando ela chega e o sepulcro está aberto, que choque. Ela foi cuidar do corpo do seu Senhor. Ela chega e então volta correndo para chamar os outros. Sepulcro é lugar de dor. Não dá pra parar um projeto, só por causa da dor, tá meio triste? Tem que ser feito. Se eu tiver com febre? Tem que ser feito. A dor não pode te parar.”

“João espera Pedro chegar para então entrar no sepulcro. É como eu já te disse e repito: sepulcro é lugar de dor. Ninguém consegue entrar sozinho no lugar da dor, é tempo de envolvimento, de perguntarmos ao outro: ‘Qual é a área da sua dor? Eu quero te ajudar’. Nós precisamos uns dos outros. Deus me colocou uma palavra profética para te dizer aqui: Quebra esse ciclo de frustração agora. Porque você não termina o começa? Começa a pregar e para pra cantar, começa a cantar e para pra pregar. Tá no quarto casamento e já tá pensando em separar de novo. Um filho se cria com a avó, outro com a tia. Você já podia ter duas faculdades mas não terminou nenhuma. Não coloque outros para terminar o que você começou, é você quem tem que ir até o fim. Deus tá mudando essa tua história hoje.”

“Tem coisas que não adianta jogar no baú do esquecimento. O que aconteceu quando você foi traída, abusada, eu sei não é fácil. Mas no lugar da dor, você tem que vencer, ver além. Ela viu no sepulcro o que eles viram, mas enxergou além. Estão vendo o seu filho drogado, seu marido que bebe, sua filha que se prostitui? Entra na situação, entra no sepulcro, porque quem fica, quando todo mundo já teria saído, verá o céu se abrir em seu favor. O Senhor está dizendo: ‘Fica, porque eu vou te mostrar o que quem não fica não pode ver’.”

“Fica, mas entra. Luta, se mexe. Deus vai honrar a tua atitude e te encher de autoridade. Entra e luta pela tua família, pelo teu casamento, pelo teu emprego. Já que ficou, entra. Quem sabe esse casamento é só um corpo pra você. Tem gente na sua casa que é só corpo. Quando Maria vê Jesus, para ela, ele ainda não era o seu mestre, era só um corpo. Veja Rispa, ela quer cuidar dos corpos dos filhos, quer trazer dignidade para os filhos. Lutar com corpo é coisa difícil. Tem casa pra varrer, louça para lavar, várias outras atividades. Sabe o que é isso? Em tempo de luta, de dor, as prioridades mudam. Luta pelo corpo, pela dignidade do seu casamento, pela dignidade da sua família, da sua casa. Mas não para.”

“Você tem que ser como essa Maria, que só sai do cenário da dor, quando termina o que começou. Deus está encerrando este tempo de coisas inacabadas. Ano que vem, aqui neste congresso, você vai testemunhar, o que te foi profetizado hoje.”

 

Autor: Comunicação AD Brás

Administração do Portal e das Mídias Sociais da Assembleia de Deus no Brás

Compartilhe Este Artigo

Envie um Comentário