Terça de ensino encerra sua campanha

Neta terça aqui na Assembleia de Deus no Brás, mais uma campanha foi encerrada: “7 Semanas da Ressurreição”.

O culto, que não teve a presença do nosso presidente, Pastor Samuel Ferreira, pelas inúmeras atividades devido à sua função como Presidente da CONAMAD (Convenção Nacional das Assembleias de Deus – Ministério de Madureira), teve ministração cheia da graça de Deus, do Pr. Rafael Bello, do Rio de Janeiro, que há duas semanas trouxe uma saudação, no culto de Santa Ceia.

“E este João tinha as suas vestes de pelos de camelo, e um cinto de couro em torno de seus lombos; e alimentava-se de gafanhotos e de mel silvestre.” – Mateus 3:4

“Naqueles dias apareceu João, dentro do deserto da Judéia, ele apareceu num tempo de crise. E este tempo em que ele aparece é inusitado, é tempo do cumprimento de profecias do antigo testamento. A crise não tem o poder de esconder, a crise mais promove do que esconde, a crise vem pra revelar.”

“O lugar é o deserto e o tempo é de crise, mas o agente direto de Deus, o escolhido por ele, nem o tempo e nem a crise tem o poder de esconderem. Quando Deus decide fazer alguém aparecer, Ele usa a crise e o deserto que você está, para trazer a evidência sobre ti.”

“Deus não precisa de um tempo favorável, Ele só precisa querer fazer. Eu quero fazer e vou fazer João aparecer. Este tempo é de crise? Mas Deus vai fazer porque quem domina tudo é Ele, o Grande Eu Sou, o nosso Deus. Quando Deus quer, quem muda? Não tem deserto, não tem crise que te esconda quando Deus quiser fazer você aparecer. Não tem.”

“Arrependimento e reino dos céus são os pilares que sustentam a pregação desse homem. Se arrependa logo porque está perto, tá chegando se arrepende. Conheço você, sondo o seu coração. Não vou te perder pro inferno. Se arrependa porque o reino dos céus se aproxima”.

“Preparai o caminho do Senhor e endireitai as veredas. Jerusalém, Judeia e Jordão. Quando você fala, canta, aconselha, quando você ora, o que atrai esse povo é a tua voz. Deus te usa. Não pare. Eu vou trazer o povo. Clame, grite, louve, pregue. Deixa que o povo Eu, o Senhor, trago.”

“Ele se vestia de pelo de camelo, cinto de couro e se alimentava de gafanhotos. Gafanhoto sempre destrói, mas João pegou o que seria para sua destruição o que o devoraria, e ele (João) começou a devorar os gafanhotos, ele mastigou com força”.

“Ainda que ficou o amargo, a gente se arruma, mas o fato é que ninguém sabe quantos gafanhotos devoramos por dia. Ninguém sabe o nível de guerra que temos, devoramos os gafanhotos e ninguém sabe o que se passa conosco. O texto diz que ele se alimentava de gafanhotos. Essa luta, essa prova serve de alimento pra você. Abra a boca e engula e não faça cara feia. Para adoçar o final da batalha, coma mel”.

“O gafanhoto te alimenta e o mel é o tempero. Essa semana, é semana de temperar o amargo com mel. Você vai mastigar todos os gafanhotos com consciência. Sabendo que vai ser amargo, mas que vai ter mel no fial. Hoje é noite de temparar o fim da batalha, hoje é noite do mel.”

Autor: Comunicação AD Brás

Administração do Portal e das Mídias Sociais da Assembleia de Deus no Brás

Compartilhe Este Artigo

Envie um Comentário